• HOME
  • WESLEY SATHLER

  • EXPEDIENTE
  • VALE A PENA LER DE NOVO
  • GALERIA

  • WS CHOICES



DE CARA NOVA

Publicado em 25/01/2019

Tanque do Projeto TAMAR inaugura nova cobertura
 
O tanque do Projeto TAMAR na Ilha do Papagaio, anexa à Praça do Papa, em Vitória, vai ganhar uma cobertura a partir da próxima sexta, dia 25. Idealizado pelo arquiteto Daniel Zanine, o revestimento tem cerca de 80m² e utiliza eucalipto tratado e tela sombreadora (sol pack).
 
CONFORTO
 
De acordo com Denise Rieth, bióloga gestora do Museu do TAMAR Vitória, a instalação visa a possibilitar a redução da temperatura, proporcionando menor proliferação de algas e consequentemente melhora na qualidade da água. “Outro aspecto importante é proporcionar um maior conforto aos visitantes. Com sombra, eles podem permanecer mais tempo observando e acompanhando a alimentação das tartarugas marinhas, e recebendo informações sobre a biologia e o comportamento desses animais”, explicou.
 
VISORES
 
Com 226m² e capacidade para comportar até 100 mil litros de água, o tanque rochoso é moderno, possui sistema de tratamento de água inovador e possibilita ver as tartarugas ainda mais de perto, através de visores. Nele, os visitantes podem conhecer quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas existentes no Brasil e saber o que pode ser feito para protegê-las. A cobertura será instalada numa parceria do TAMAR com a ArcelorMittal Tubarão.
 
CONSERVAÇÃO
 
A ArcelorMittal Tubarão é antiga parceira do TAMAR. Há 18 anos, a empresa realiza com a instituição um importante estudo sobre a espécie tartaruga-verde (Chelonia mydas), que utiliza a área para alimentação. O trabalho tem como principal objetivo capturar, marcar e coletar dados dos animais para estudos de biometria, crescimento, padrões migratórios e condição de saúde. Desde o início das atividades, em agosto de 2000, houve 4.405 capturas, sendo que 1.951 indivíduos (tartarugas diferentes) foram observados no efluente final da empresa, localizada no município da Serra. Um dos resultados do estudo aponta que a maioria das tartarugas capturadas têm apresentado bom estado de saúde e nutrição.


Compartilhe: