• HOME
  • WESLEY SATHLER

  • EXPEDIENTE
  • VALE A PENA LER DE NOVO
  • GALERIA

  • WS CHOICES



TRABALHAR AOS DOMINGOS

Publicado em 12/01/2019

DOMINGO DE PORTAS ABERTAS

Os empresários Douglas Mauri e Carolina Brandão começam o ano de 2019 com uma novidade para os frequentadores de sua candystore localizada em Santa Lúcia, a Casa da Bruxa. A loja vai funcionar aos domingos entre 14h e 19 horas. “O que começou apenas como uma aposta para o mês de dezembro tornou-se uma experiência positiva para a loja e resolvemos manter como padrão em 2019”, conta Douglas entusiasmado.

APROVEITANDO O ASSUNTO, HÁ QUEM CONCORDE E QUEM NÃO GOSTE DA IDEIA DE COMÉRCIO ABERTO AOS DOMINGOS

Embora pesquisa recente feita pela FIESP mostre que mais de 70% dos brasileiros consideram uma ótima ideia ter o comércio de portas abertas aos domingos, alguns analistas levantam algumas questões. A seguir, um texto de autoria de José de Oliveira Siqueira, Cláudio Felisoni de Ângelo e João Paulo Lara de Siqueira (Dep. de Administração FEA-USP) sobre o assunto:
A questão do funcionamento do comércio aos domingos tem sido um tema bastante polêmico em diversos países. No Brasil, o assunto vem chamando a atenção de diversos segmentos da sociedade. De fato, a discussão tem dimensões políticas, econômicas, sociais e, sem dúvida, também culturais e religiosas.
    
Questões regionais 

A vertente política se observa nos posicionamentos sindicais, nas opiniões dos políticos, que representam evidentemente segmentos da sociedade, e nas disputas regionais, uma vez que, dentro de determinados limites, municípios que adotam a prática do funcionamento do comércio aos domingos devem atrair compradores daqueles que não o fazem. Isto, certamente, além de fortalecer certas regiões e enfraquecer outras, tem ainda implicações sobre a receita municipal decorrente dos impostos sobre as vendas realizadas.

Questões econômicas 

Do ponto de vista econômico, as implicações se colocam em termos do nível geral de atividade, da trajetória dos lucros, do potencial de expansão do emprego e da remuneração da mão de obra, entre outras. O nível de atividade é uma questão central: o funcionamento do comércio aos domingos provoca uma expansão das vendas ou apenas e tão-somente uma redistribuição das vendas entre os dias da semana? Se houver apenas uma redistribuição das vendas, é provável que haja somente um aumento de custos. É bem possível também que não ocorra, verificando-se essa situação movimento ascendente do emprego.

Questões religiosas

Finalmente há as considerações culturais e religiosas. Na sociedade, existe bem firmada a idéia de que o domingo deve ser o dia destinado ao lazer e ao descanso. Conforme Evans (1998), a palavra sábado originou-se de shabbat, que significa repouso (cessão). Para os judeus, sábado é o dia de culto e de descanso sabático. Pelo fato da Ressurreição de Jesus Cristo ter ocorrido no dia seguinte ao sábado, os cristãos, desde o período apostólico, passaram a chamá-lo de Dia do Senhor ou domingo. Dessa forma, o dia de culto deixou de ser o sábado e passou a ser o domingo (descanso dominical).


Compartilhe: